terça-feira, 11 de maio de 2010

Desgraça cotidiana

       É incrível como uma desgraça puxa outra. Pedi a conta no meu ex-emprego imaginando que assim teria mais tempo para me dedicar ao que realmente gosto, ou seja, o jornalismo e tudo que me prende a ele, inclusive (acreditem ou não) este simpático blog. Me enganei! Desempregado há mais de um mês, minha grana sumiu sem deixar rastros. Não tenho dinheiro se quer para um maldito cigarro, ou para me embrenhar em algum porão da cidade que esteja rolando qualquer banda mais medíocre que minha atual situação financeira. Para piorar, nosso senhor Jesus Cristo teve a sórdida e impiedosa ideia de jogar um raio em cima do meu modem, e assim me deixar por um bom tempo sem comunicação com o mundo, tempo esse que deve se prolongar por meses, tendo em vista que se não tenho dinheiro se quer para um cigarro, quanto mais para um modem novo, ou seja, nem atualizar este pobre blog vou poder durante um bom tempo.
Chego então a conclusão que deveria ter continuado no meu antigo emprego, mesmo acordando todos os dias sem a minima vontade de guardar material elétrico em prateleiras - sim, era esse meu cargo -, ao menos tinha dinheiro para manter minha dignidade ilesa.



Redigido e postado em algum computador do governo, disponibilizado pela faculdade.

Um comentário:

Marcus Vinícius disse...

A liberdade é sempre dolorosa.